Sites Grátis no Comunidades.net






Partilhe este Site...

STG - Seminário Teológico de Guarulhos

Portal da Igreja Presbiteriana

UMADGUAR - União das Mocidades da Assembleia de Deus em Garulhos

Ministério de Missões da AD Guarulhos

Faculdade e seminário Teológico da Fé Reformada

Cohen University Theologial Seminary

Discipulado sem fronteiras

ICP - Instituto Cristão de Pesquisa



Total de visitas: 530579
Como ser uma pessoa melhor diante de Deus?
Como ser uma pessoa melhor diante de Deus?

Como ser uma pessoa melhor diante de Deus?

 

Como é possível ter uma vida casta – segundo os princípios bíblicos – no meio da sociedade que vivemos?

Deus disse a Israel e Pedro repetiu para a igreja: “Sejam santos, como eu sou santo”. Que ordem complicada, essa! Mas, será que Deus daria um mandamento impossível de ser cumprido?

Para deixar a situação ainda mais desafiadora, quero me referir aos jovens. Como falar em santidade para adolescentes? Como falar de uma vida em castidade para a geração da “pegação”, do “funk”, dos “hormônios em fúria”? Como falar em pureza da sexualidade para a geração que assiste “malhação”, BBB, a Fazenda e aprende o sexo em sua manifestação mais medíocre? Uma geração que não se importa em manter relacionamentos com ambos os sexos, que se denomina assexuada?

 

Não sou o primeiro a pensar sobre isso. Muito tempo antes da TV, da internet e dos reality shows, um salmista analisa a necessidade e a dificuldade da santificação na juventude. O Livro dos Salmos é parte de uma coleção que chamamos de Livros poéticos e sapienciais. Estes livros usam linguagem poética para transmitir ensinos de sabedoria inspirada por Deus. Um destes salmos, o de número 119 trata, em grande parte de seus 176 versos, sobre a importância da palavra de Deus. Vejamos um trecho desta bela obra literária:

 

Salmo 119.9-16

9 Como pode o jovem manter pura a sua conduta? Vivendo de acordo com a tua palavra.

10 Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos.

11 Guardei no coração a tua palavra para não pecar contra ti.

12 Bendito sejas, Senhor! Ensina-me os teus decretos.

13 Com os lábios repito todas as leis que promulgaste.

14 Regozijo-me em seguir os teus testemunhos como o que se regozija com grandes riquezas.

15 Meditarei nos teus preceitos e darei atenção às tuas veredas.

16 Tenho prazer nos teus decretos; não me esqueço da tua palavra.


 

A retórica do salmista

 

            Depois de uma reflexão sobre a perfeição dos caminhos divinos e a importância da meditação nas palavras do Senhor, o poeta faz uma pergunta de si para si mesmo, refletindo sobre a questão que levantei há pouco. “Como pode o jovem manter pura a sua conduta?”

 

            Com a liberdade que a “pena” me dá ao escrever, contextualizo a pergunta do inspirado escritor:

 

Como pode o jovem manter pura a sua conduta quando a TV está cheia de impureza?

 

Como pode o jovem manter pura a sua conduta se a internet o deixa a um clique de todo o tipo de imundície sexual, sem precisar sair de casa?

 

Como pode o jovem manter pura a sua conduta se as salas de bate-papo são usadas até mesmo por pessoas adultas para extravasarem desejos e pensamentos libidinosos e podres?

 

Como pode o jovem manter pura a sua conduta se a mídia ensina a relatividade do que moral, do que é correto?

 

Mas, o salmista tem a resposta. Uma resposta que os séculos mostram a eficiência e a eficácia. Uma solução que, em sua simplicidade, encerra uma grandeza que transcende à realidade presente, e está muito acima dos problemas temporais, sendo assim, uma solução plausível para todos eles. A Palavra de Deus. “Vivendo de acordo com a tua palavra”.

 

 

 

A Bíblia

 

Durante os séculos da era cristã, e antes dela embora incompleta, a Bíblia dividiu opiniões, mas mudou vidas, salvou casamentos, restaurou famílias, inspirou reformas políticas e espirituais, revelou Deus aos homens e trouxe à luz verdades que vão além do intelecto humano, como disse seu autor: Naquela ocasião Jesus disse: "Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos pequeninos”. Mateus 11.25.

 

A Bíblia não é uma coleção de sábios e belos conselhos. Em toda a riqueza literária e sapiencial contida em seus textos, existe algo que a diferencia e a torna ímpar: A inspiração. Deus supervisionou todo o processo de composição da Bíblia, de modo que cada e toda palavra nela contida são inspiradas por Deus. Quando lida, a Bíblia não apenas aponta as verdades em meio às mentiras ou o caminho em meio á perdição; ela penetra no interior do homem e dá capacidade para mudar, para ser uma pessoa melhor.

 

Quando o salmista diz que o jovem anda em pureza quando vive de acordo com a palavra de Deus está mostrando – muito embora ele, talvez nem soubesse disso – que não é a escolha do jovem baseada em sábios conselhos que o melhorará, mas que é a Palavra de Deus que o fará melhor. É coisa de Deus, e não de homem, também foi Jesus quem disse, aliás, orou pedindo ao pai: Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade. João 17.17

 

 

 

A santidade

 

Assim, voltamos àquele texto que Moisés e Pedro escreveram: Sejam santos. De fato, essa santidade é uma exigência, mas de uma meta a ser buscada constantemente. Deus sabe que não somos perfeitos e não espera isso de nós. Por isso mesmo, preparou meios para nos ajudar no processo, como a oração, o jejum e a comunhão com a igreja. Mas o principal destes meios é a palavra de Deus.


O testemunho pessoal do salmista

Agora, o salmista testemunha de sua experiência com a Palavra de Deus. O jeito que ele a recebe, seu relacionamento diário com ela, o que ela fez e faz por ele. Vamos analisar estes pontos:

 

Sl 119.10 Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos.

Veja a ação do salmista e a reação de Deus (se não o contrário, dada a onisciência divina): o homem busca a Deus com coração sincero e completo e Deus não permite que Ele se desvie.

Buscar a Deus faz parte da natureza do homem, mesmo decaído. Há um vazio existencial que o homem procura preencher durante toda a sua vida. Ao criar o homem, Deus sopra algo de si em suas narinas; o homem foi criado para estar junto de Deus. O pecado afastou o ser humano do Senhor, deixando uma lacuna que o pecador tenta preencher com religiões, prazeres temporais, drogas, álcool, sexo desenfreado. O único ser que tem as dimensões suficientes para preencher este “buraco” é o Senhor Jesus.

Buscar a Deus é uma necessidade do homem. Sem Deus, não é possível realizar nenhuma conquista espiritual. Somos como galhos sem raízes. Precisamos estar na árvore para nos beneficiarmos da seiva que vem dela. Precisamos buscar esta seiva na videira verdadeira:

“Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto. Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer”. João 15.1-5

 

Buscar a Deus é uma urgência na vida do homem. Isaías ensina que esta disposição do Senhor não será para sempre: Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Isaías 55:6. Uma verdade que não pode ser esquecida e que deve ser lembrada pela igreja é que Cristo virá buscar os seus e o Senhor não será mais achado de quem o buscar.

 

Buscar ao Senhor deve ser uma atitude oriunda de um coração sincero e quebrantado: E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração. Jeremias 29:13.

 

O salmista diz que, quando busca ao Senhor, este não permite que ele se desvie. É uma realidade presente, pois na incapacidade do homem em fazer algo por si mesmo, o próprio Deus busca os perdido: Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.Lucas 19:10

Deus conhece nossas incapacidades e, embora não aprove de forma alguma o pecado, é na nossa fraqueza que sua misericórdia se manifesta.

Sl 119.11 Guardei no coração a tua palavra para não pecar contra ti.

            Mais uma vez, a ação do escritor resulta em um fruto espiritual: Ele esconde a palavra, não abre mão dela e o pecado perde o poder sobre sua vida.

            Guardar a palavra no coração envolve comprometimento, sentimento e dedicação

            Comprometimento, pois é necessário conhecer, ler, estudar, ouvir a palavra e assumir o compromisso de vivê-la.

            Sentimento, pois o coração é a sede poética das emoções. Amar a deus envolve emoções, como disse o mestre Jesus: “Amarás o senhor teu de todo o teu coração”. O maior desejo de Deus é ser amado por suas criaturas. Em sua infinitude e autossuficiência, Deus quer que o homem esteja junto dele manifestando um amor sincero. Afinal, este é o primeiro e maior dos mandamentos. Resume toda a lei e os profetas.

            Dedicação, pois nossa natureza é decaída e, sem esforço, é impossível que a palavra seja enraizada fundo o suficiente para provocar transformação de caráter, de vida.

 

            Uma vez que a palavra esteja escondida, o pecado sai. É como água no óleo. Quanto mais água (palavra) estiver dentro de nós, mais o óleo (pecado, impurezas) transbordará, derramará e desaparecerá, pois não achará espaço em um coração transformado pela nova natureza de Cristo adequada pela palavra de Deus.

 

Sl 119.12 Bendito sejas, Senhor! Ensina-me os teus decretos.

Sl 119.13 Com os lábios repito todas as leis que promulgaste.

            O poeta começa a ver o resultado. Primeiro, ele busca ao Senhor de todo o coração e depois esconde a palavra nesse mesmo coração. Assim, ele é ensinado pelo próprio autor das escrituras.

            Paulo diz que nós, que somos salvos, não temos mais a mente cauterizada pelo pecado, mas uma mente que não é natural: Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo. 1 Coríntios 2:16

            Essa mente em nós é o que capacita a aceitar e entender verdades espirituais ignoradas pelo mundo, pois “o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus” (2 Co 4.4) e assim, compartilhamos as grandezas que recebemos com os que ainda estão lá fora: Sl 119.13 Com os lábios repito todas as leis que promulgaste.

 

 

Sl 119.14 Regozijo-me em seguir os teus testemunhos como o que se regozija com grandes riquezas.

            Por causa de tudo isso, tudo o que Deus fez por ele e tudo o que ele pôde conhecer em Deus, o salmista tem prazer em ser de Deus, valoriza, vê isso como grande riqueza e faz dessas verdades parte integrante e importante de sua vida:.

 

Sl 119.15 Meditarei nos teus preceitos e darei atenção às tuas veredas.

           

Passa a pensar em Deus no seu dia a dia, meditar nas mensagens que lê, que ouve.

Vivemos em um momento no qual as pessoas não dedicam tempo à meditação, à reflexão, ao pensamento. É claro que não estou propondo que o salmista se refira à práticas de misticismo ou algum tipo de hipnose. Meditar é dedicar tempo a pensar na Palavra de Deus e em suas verdades. Alguém já disse que “Ler sem meditar é comer sem mastigar”. Precisamos “roubar” tempo de outros afazeres para sentar em família, para estar com os amigos ou mesmo sozinhos pensando nas grandezas da palavra de Deus.

Nossa juventude é bombardeada o tempo todo com tanta informação e entretenimento, que não resta tempo para pensar.

TVs com mais de duzentos canais, internet banda larga de altíssima velocidade, nos ouvidos, os fones do MP3, 4, 5, 6, 7, 8... celulares que acessam redes sociais, salas de bate-papo, carros com sons extrapoentes no porta-malas, enfim, a mente do jovem está todo o tempo ocupada com tantas coisas, que a meditação é praticamente inexistente.

É um desafio para todos conseguir este tempo e desenvolver esta “arte” da meditação, sabendo do que Deus pode fazer por nós e em nós através desta prática.

 

 

CONCLUSÃO

 

Como pode o jovem manter pura a sua conduta?

Ele será puro se buscar ao Senhor e de todo o seu coração; se guardar, esconder Sua palavra; se aprender com o Pai e repetir o que Ele ensina; Se encontrar prazer na palavra do Mestre e meditar nela dia e noite.

 

Que esta reflexão fique no coração do leitor e, claro, nunca se deixe abater, nunca se esqueça da grandeza do seu chamado:

 

Sl 119.16 Tenho prazer nos teus decretos; não me esqueço da tua palavra.