BEM VINDO AO EVANGELHO BÍBLICO     






Partilhe este Site...

STG - Seminário Teológico de Guarulhos

Portal da Igreja Presbiteriana

UMADGUAR - União das Mocidades da Assembleia de Deus em Garulhos

Ministério de Missões da AD Guarulhos

Faculdade e seminário Teológico da Fé Reformada

Cohen University Theologial Seminary

Discipulado sem fronteiras

ICP - Instituto Cristão de Pesquisa



Total de visitas: 512356
Panorama Bíblico 02
Panorama Bíblico 02

PARTE 02 – LIVROS HISTÓRICOS

 

 

LIVROS HISTÓRICOS

           

 

A coleção bíblica chamada Livros Históricos é composta por doze livros e vai de Josué a Ester. Relata a história da entrada de Israel em Canaã nos dias de Josué, passando pela instituição da monarquia, a divisão dos reinos de Israel e Judá e a queda destes sob os governos da Assíria e da Babilônia.

 

O livro de

 JOSUÉ

 

“A conquista da terra prometida”.

 

Autor

            A tradição judaica atribui o livro a Josué, mas há passagens que aludem acontecimentos depois de sua morte. É possível que um escriba ou tradutor tenha escrito o livro com base em anotações do próprio Josué.

 

Tema

Canaã se dividia em várias cidades-estados, cada uma com governo autocrático. Estas eram hostis umas com as outras. O livro conta a história de Josué, sucessor de Moisés e líder da investida que tomou a terra e a dividiu entre as tribos, cumprindo a promessa de Deus aos patriarcas.

            As promessas sendo cumpridas constituem o tema central da mensagem de Josué.

 

Esfera de ação

            Cobre um período de aproximadamente vinte e quatro anos, da morte de Moisés até a morte de Josué.

 

Esboço de Josué

 

I. Preparação da herança 1.1-5.15

  1. Deus fala com Josué, que prepara o povo para tomar a cidade 1.1-18
  2. Josué envia espias a Jericó e estes são protegidos por Raabe 2.1-5.15

 

II. Possuindo a herança 6.1-12.24

  1. Tomada de Canaã e Ai – o pecado de Acã 6.1-8.35
  2. A estratégia dos gibeonitas para fazerem aliança com Israel 9.1-10.43
  3. Vitórias sobre diversos reis do território do Norte 11.1-15
    Revisando os territórios conquistados 11.16—12.24

 

III. Compartilhando a herança 13.1-22.34

  1. Distribuindo a herança entre as tribos 13.1-21.45
  2. As tribos a Leste do Jordão 22.1-34

 

IV. Discurso e morte de Josué 23.1—24.33

 

O livro dos

JUÍZES

 

“O fracasso do povo”.

 

Autor

            O livro de Juízes é anônimo, embora a tradição judaica o atribua a Samuel.

 

Tema

            Ao passo que Josué relata as vitórias do povo de Deus, Juízes relata o seu fracasso como nação teocrática.

 

            Depois da morte de Josué, o povo de Israel se contaminou com as abominações do povo que estava na terra. Juízes tem um refrão muito simples e repetitivo:

1)    Israel peca contra Deus servindo a deuses estranhos;

2)    Deus fica irado e o entrega nas mãos de opressores

3)    O povo clama ao Senhor, pedindo socorro e Deus levanta um Juiz para trazer livramento;

4)    A terra tem paz e descanso;

5)    Os israelitas voltam a servir deuses estranhos.

 

Esfera de ação

Desde a morte de Josué até a magistratura de Samuel, aproximadamente trezentos anos (1400 a 1100 a.C.).

 

Esboço de Juízes

 

I. Canaã após a morte de Josué 1.1-3.6

 

II. História de opressões e libertações durante o período dos juízes 3.7-16.31

Ø  Otniel - Opressão mesopotâmica 3.7-11

Ø  Eúde - Opressão moabita 3.12-30

Ø  Sangar - Opressão filistéia 3.31

Ø  Débora e Baraque - Opressão Cananéia 4.1-5.31

Ø  Gideão - Opressão midianita 6.1– 8.35

Ø  Breve reinado de Abimeleque 9.1-57

Ø  Tola 10.1,2

Ø  Jair 10.3-5

Ø  Jefté - Opressão amonita 10.6 –12.7

Ø  Ibsã 12.8-10

Ø  Elom 12.11,12

Ø  Abdom 12.13-15

Ø  Sansão - Opressão filistéia 13.1-16.31

 

III. Apostasia e imoralidade no período dos Juízes 17.1-21.25

________________________________

 

O livro de

RUTE

 

“A providência divina além das fronteiras nacionais de Israel”.

 

Autor

            O autor de Rute é desconhecido, mas a tradição atribui a Samuel sua autoria.

 

Tema

            O livro conta a história de uma mulher estrangeira que se une ao povo da aliança com fidelidade e caráter únicos em um momento em que Israel enfrentava uma crise nacional de caráter tanto material quanto espiritual. A intrepidez de Rute em não abandonar sua sogra viúva, sendo ela mesma viúva, entregando sua vida ao Deus da aliança de Israel garantiu a ela não só lugar na promessa de Deus, mas ela foi a bisavó de Davi e, por isso, ancestral do Senhor Jesus.

 

Esfera de ação

            Segundo Myer Pearlman, o livro abrande dez anos, provavelmente durante a época de Gideão.

 

Esboço de Rute

 

I. A família de Elimeleque em Moabe 1.1-22

Ø  Sofrimento e perdas de Noemi 1.1-5

Ø  Dedicação e promessa de Rute 1.6-18

Ø  Retorno a Belém 1.19-22

 

II. Rute nos campos de Boaz 2.1-23

III. Rute deita aos pés de Boas e recebe a promessa de casamento 3.1-18

IV. Boaz casa com Rute 4.1-22

V. Genealogia de Davi 4.18-22

________________________________

 

O primeiro livro de

SAMUEL

 

“A instituição da monarquia”.

 

 

Autor

            Segundo a tradição judaica, 1 e 2 Samuel foram escritos por Samuel e completados pelos profetas Natã e Gade.

 

Tema

            Nazireu de Deus, Juiz, Sacerdote e Profeta. Este é Samuel que nasceu no período dos Juízes, quando Israel estava degenerado moral e espiritualmente. Além das investidas dos filisteus, o próprio sacerdócio estava profanado e distante do Senhor. Além de ser instrumento para uma renovação espiritual e retorno a Deus, Samuel foi um personagem decisivo para a transição dos juízes à monarquia em Israel. A escolha de Saul por parte do povo e a escolha da dinastia davídica por parte de Deus são temas marcantes em ambos os livros de Samuel.

 

Esfera de ação

            Do nascimento de Samuel à morte de Saul, mais ou menos cento e quinze anos.

 

Esboço de 1º Samuel

 

I. Renovação sob Samuel 1.1-7.17

  1. Nascimento e infância de Samuel 1.1-2.36
  2. Começo do ministério profético de Samuel 3.1-4.1
  3. O ministério de Samuel como juiz 4.2-7.17

 

II. O reinado de Saul 8.1 –15.35

 

  1. Estabelecimento de Israel por um rei 8.1-12.25

Ø  A Exigência de Israel por um rei 8.1-22

Ø  Saul é escolhido e ungido rei 9.1-12.25

Ø  As guerras de Saul 13.1-14.52

Ø  Saul é rejeitado por Deus 15.1-35

 

III. Declínio de Saul e ascensão de Davi 16.1-31.13

  1. A crescente proeminência de Davi 16.1-17.58

Ø  Sua unção por Samuel 16.1-13

Ø  Sua música diante de Saul 16.14-23

Ø  O conflito de Davi com os filisteus e os amelequitas 29.1-30.31

Ø  A morte de Saul 31.1-13

 

________________________________

 

 

O segundo livro de

SAMUEL

 

“O ungido de Deus”.

 

Tema

Davi não usurpou o trono, mesmo sendo ungido por Deus para governar Israel, soube esperar com paciência no Senhor.

 

O livro foca o estabelecimento da aliança davídica por Deus e a instituição da dinastia que culminaria no reinado eterno do Messias, a Raiz de Davi, o Rebento do tronco de Jessé.

 

Esfera de ação

            Desde a morte de Saul até a compra do local do templo – a eira de Araúna, aproximadamente trinta e sete anos.

 

Esboço de 2º Samuel

 

I. Os triunfos de Davi 1.1-10.19

  1. Os triunfos políticos de Davi 1.1-5.25
  2. Os triunfos espirituais de Davi 6.1-7.29
  3. Os triunfos militares de Davi 8.1-10.19

 

II. As transgressões de Davi 11.1-27

  1. O pecado do adultério 11.1-5
  2. O pecado do Assassinato 11.6-27

 

III. Os problemas de Davi 12.1-13.36

  1. Problemas na família de Davi 12.1-13.36
  2. Problemas no reino de Davi 13.37—24.25

 

 

 

 

________________________________

 

 

 

O primeiro e o segundo livros dos

REIS

 

“A divisão do reino”.

 

Autor

            Os dois livros dos Reis são de autoria desconhecida. A tradição judaica atribui a escrita a Jeremias, que teria usado registros de Natã, Gade e outros.

 

Tema

            A divisão do reino.

            Salomão assume o reinado de Israel e segue um período de paz.

Dotado de uma sabedoria sobrenatural, dádiva do próprio Deus, Salomão expandiu tremendamente o reino na área comercial. Foi em seu reinado que se construiu o templo majestoso de Jerusalém e o palácio do rei.

            Depois da morte de Salomão, seu filho Roboão assume o reinado e não atende o clamor pela redução de impostos de seu povo, o que culmina em uma divisão entre as tribos de Israel.

Dez tribos seguiram Jeroboão que se tornou rei de Israel, o reino do Norte, cuja capital passaria a ser Samaria e duas tribos seguiram Roboão, que continuou rei de Judá, o reino do Sul, com capital em Jerusalém.

 

Esfera de ação

            O primeiro livro cobre um período de cento e vinte anos, desde a morte de Davi até o reinado de Jorão no reino do Norte.

            O segundo cobre um período de 308 anos, desde o reinado de Jorão até a queda de Jerusalém.

 

Esboço de 1º e 2º Reis

 

I. O reinado de Salomão 1.1-11.43

Ø  O estabelecimento de Salomão como rei 1.1.-2.46

Ø  A consagração de Salomão como rei 3.1-8.66

Ø  Salomão pede sabedoria a Deus 3.1-15

Ø  A grandeza e sabedoria de Salomão 3.16-4.34

Ø  Salomão edifica o templo cap. 6

Ø  Salomão edifica o palácio cap. 7

Ø  Salomão dedica o templo cap. 8

Ø  A idolatria de Salomão – seu erro como rei 9.1-11.43

 

 

 

 

 

 

 

II. Roboão causa a divisão entre as tribos 1Re12. 1-33

    Reis de Israel e Judá 1Re 12 a 2Re 17

III. Queda de Israel, o Reino do Norte sob o poder do Império Assírio (722 a.C.) 2Re 17

IV. Últimos reis de Judá 2Re 18 a 25

V. Queda de Judá sob o poder do Império Babilônico (586 a.C.) 2Re 25

 

O Reino Dividido

 

 

 

Judá

 

Roboão 930 a.C.

Abias 913 a.C.

 

Asa 910 a.C.

 

 

 

 

Josafá 872 a.C.

 

 

Jeorão 848 a.C.

Acazias 842 a.C.

Atalia 841 a.C.

Joás 835 a.C.

 

 

Amazias 796 a.C.

 

Uzias 792 a.C.

 

 

Jotão 750 a.C.

 

 

 

Acaz 735 a.C.

 

Ezequias 715 a.C.

Manassés 697 a.C.

 

Amom 642 a.C.

Josias 640 a.C.

Jeoacaz 609 a.C.

Jeoaquim 609 a.C.

Joaquim 598 a.C.

Zedequias 597 a.C.

Queda de Judá 586 a.C.

Sob a Babilônia

Divisão do Reino em 930 a.C.

 

Profetas

(Datas possíveis)

 

 

 

 

 

 

 

 

Elias

Eliseu

 

 

 

 

 

 

 

 

Amós

Jonas

Oséias

Isaías

 

 

 

 

Miquéias          

 

 

 

 

Naum

Sofonias

Habacuque

 

Jeremias

Obadias

Ezequiel

Daniel

 

 

 

Israel

 

Jeroboão 930 a.C.

 

Nadabe 909 a.C.

Baasa 908 a.C.

Elá 886 a.C.

Zinri 885 a.C.

Tibni 885 a.C.

Onri 885 a.C.

Acabe 874 a.C.

Acazias 853 a.C.

Jorão 852 a.C.

Jeú 641 a.C.

 

 

Jeoacaz 814 a.C.

 

Jeoás 798 a.C.

 

Jeroboão II 793 a.C.

 

 

Zacarias 753 a.C.

Salum 752 a.C.

Manaém 752 a.C.

Pecaías 742 a.C.

Peca 752 a.C.

Oséias 732 a.C.

Queda de Israel 722 a.C.

Sob a Assíria

 

 

O Império Assírio

 

 

O primeiro e o segundo livros das

CRÔNICAS

 

“O retorno do exílio”.

 

Autor

            O autor de Crônicas é desconhecido, porém, a tradição judaica atribui a autoria destes livros a Esdras.

 

Tema

            As Crônicas remontam a genealogias desde Adão até a história da ordem para libertar os judeus para retornarem do cativeiro, cumprindo as profecias de Jeremias e demais profetas.

 

Esfera de ação

            Aproximadamente quinhentos e vinte anos, desde a morte de Saul até o decreto de Ciro para libertar os judeus.

 

Esboço de 1º Crônicas

I. Heranças das tribos, de Davi e de Saul 1.1– 9.44

II. O reinado do rei Davi 10.1-29.30

 

Esboço de 2º Crônicas

III. O período de governo do rei Salomão 1.1-9.31

IV. Os governos dos reis de Judá 10.1-36.16

V. Cativeiro e retorno de Judá 36.17-23

 

 

 

 

________________________________

 

 

 

O livro de

ESDRAS

 

“A restauração”.

 

Autor

            A autoria aceita pela maioria dos estudiosos é do próprio Esdras.

 

Tema

            A mensagem é de restauração.

Conforme a palavra dos profetas, Ciro assina o decreto e Deus traz seu povo do cativeiro, cumprindo suas promessas e mostrando a sua soberania sobre os governos deste mundo

 Os israelitas retornaram à sua pátria em 538 a.C. liderados por Zorobabel e em 458 a.C. outro grupo retornou liderado por Esdras para reconstruir a casa do Senhor.

 

Esfera de ação

            Desde a volta da Babilônia até o estabelecimento na Palestina (535 a 457 a.C.), período de setenta e nove anos.

 

 

Esboço de Esdras

I. O retorno sob a liderança de Zorobabel 1.1-2.70

II. O processo de reconstrução do templo 3.1 –6.22

III. Conclusão e dedicação do templo 6.13-18

IV. Celebração da Páscoa 6.19-22

 

V. O retorno sob a liderança de Esdras 7.1-8.36

IV. A reforma de Esdras 9.1-10.44

________________________________

 

O livro de

NEEMIAS

 

“O zelo pelo que é de Deus”.

 

Autor

            A tradição atribui este livro a Esdras ou mesmo Neemias.

 

Tema

            Em 445 a.C., Neemias, alto funcionário da corte persa abriu mão de sua vida luxuosa e recebeu permissão para retornar a Jerusalém e reconstruir os muros da cidade.

 

Esfera de ação

Mais ou menos doze anos, da viagem a Jerusalém até a restauração do Templo.

 

Esboço de Neemias

 

I. Neemias: do exílio à reconstrução das muralhas de Jerusalém 1.1-7.73

Ø  Autorização de Artaxerxes para reconstruir as muralhas 1.1-2.8

Ø  As muralhas são completadas apesar das intrigas maldosas 6.1-7.3

 

II. Leitura da Lei e celebração da festa dos Tabernáculos 8.1-10.39

III. Verdadeiro arrependimento produz justificação 11.1 –12.26

________________________________

O livro de

ESTER

 

“O cuidado de Deus”.

 

Autor

            O autor é desconhecido, embora alguns apontem Mordecai ou Esdras.

Tema

            Embora este seja o único livro da Bíblia que não contém o nome de Deus, seu cuidado por seu povo em terra estrangeira é visível.

            Ester, a moça órfã que se tornou rainha do império persa foi o instrumento usado por Deus para trazer livramento de uma ameaça de destruição por parte do invejoso Hamã.

 

Esfera de ação

            A história de Ester deve situar-se entre os capítulos 6 e 7 de Esdras, antes de sua partida para Jerusalém.

 

Esboço de Ester

 

I. Uma nova rainha é escolhida 1.1-2.17

Ø  O rei Assuero mostra seu poder e celebra uma festa 1.1-8

Ø  A rainha Vasti e deposta 1.9-22

Ø  Ester é escolhida para ser rainha 2.1-18

 

II. A vida do rei é salva 2.19-23

Ø  Mardoqueu descobre uma conspiração 2.19-21

Ø  Ester informa o rei 2.22-23

 

III. É feito um plano contra os judeus 3.1-4.17

Ø  Hamã planeja destruir os judeus 3.1-15

Ø  Mardoqueu persuade Ester a intervir 4.1-14

Ø  Ester solicita a ajuda de Mardoqueu 4.15-17

 

IV. Mardoqueu é exaltado 5.1-6.14

Ø  Ester prepara um banquete 5.1-8

Ø  Hamã planeja destruir Mardoqueu 5.9-14

Ø  Hamã é forçado a honrar Mardoqueu 6.1-14

 

V. Hamã é enforcado 7.1-10

Ø  Ester revela sua identidade e expõe Hamã 7.1-6

Ø  Hamã e enforcado na forca preparada para Mardoqueu 7.7-10

 

VI. Os judeus são salvos 8.1 –9.17

Ø  Ester leva seu pedido ao rei 8.1-6

Ø  O rei emite um decreto a favor dos judeus 8.7-17

Ø  Os judeus derrotam seus inimigos 9.1-17

 

VII. A Festa de Purim é estabelecida 9.18-10.3

Ø  Os judeus celebram o primeiro Purim 9.18-32

Ø  O rei eleva Mardoqueu 10.1-3

 

BIBLIOGRAFIA

 

 

 

&NVI. Bíblia de Estudo

&Genebra. Bíblia de Estudo

&Plenitude. Bíblia de Estudo

&MARTIN, Walter. Curso Interdenominacional de Teologia, 2006, ICP

&FTB. Panorama do Antigo Testamento, 2006, Editora Betesda

&PEARLMAN, Myer. Através da Bíblia livro por Livro, 2001, Editora Vida

&HOOVER, Richard Leroy, 2003, EETAD

&Arquivo de Estudos Pessoais:

·         Levítico, O livro da Santidade de Deus, 2005

·         Números e a organização de Israel, 2006

 

 

 

 

 

 

Max Clayton Marques

CONAMAD 36535

09 de Outubro de 2009

 

 


topo