Sites Grátis no Comunidades.net






Partilhe este Site...

STG - Seminário Teológico de Guarulhos

Portal da Igreja Presbiteriana

UMADGUAR - União das Mocidades da Assembleia de Deus em Garulhos

Ministério de Missões da AD Guarulhos

Faculdade e seminário Teológico da Fé Reformada

Cohen University Theologial Seminary

Discipulado sem fronteiras

ICP - Instituto Cristão de Pesquisa



Total de visitas: 523049
Salvação 4 - Justificação
Salvação 4 - Justificação

JUSTIFICAÇÃO

 

"Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida".

Romanos 5:18-19

 


- Para ver o estudo anterior, clique aqui -

 

         Deus nos concedeu meios para alcançarmos justiça perante Ele. Falhamos no Éden, mas em sua onisciência e soberania, Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
 

 

         Quando estava no paraíso original, o homem não tivera uma oportunidade de pecar e portanto, vivia em um estado de inocência, desconhecendo o bem e o mal.

         Se houvesse resistido às tentações de Satanás e rejeitasse o fruto do conhecimento do bem e do mal, deixaria seu estado de inocência e conquistaria o status de justo perante Deus. Uma justiça própria, como exemplo disso, temos os anjos; uma vez que rejeitaram a rebelião de Satanás, tornaram-se santos. Ou seja, eles não caem mais de sua condição. Está determinado.

 

E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória; Mateus 25:31

 

 

          O homem por sua vez, precisou de outra forma de justificação para não ser condenado como injusto. A princípio, Deus determinou a lei cerimonial, sendo Ele mesmo o primeiro a praticar o sacrifício para “cobrir”, propiciar o pecado humano:

 

E fez o Senhor Deus a Adão e à sua mulher túnicas de peles, e os vestiu.  Gênesis 3:21-22

 

          Lá mesmo no Éden, Deus prometeu uma justiça definitiva que viria através da semente da mulher:

 

E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. Gênesis 3:15-16

 

          Assim, o homem injusto e que não pôde conquistar justiça própria, recebe a justiça gratuitamente em Cristo, a semente da mulher. Vamos desenvolver melhor esta justificação:

 

 

 

O que é a justificação?

          É o ato de Deus pelo qual Ele declara o pecador justo de todos os seus pecados:


Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada. Gálatas 2:16-17

 

          Não é um processo, mas uma declaração divina contra a qual não há argumentos:

 

Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Romanos 8:33-34

 

          Não afeta a condição do homem, mas o seu estado perante Deus e o universo, pois traz consigo o perdão de pecados.

 

E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus. 1 Coríntios 6:11-12

 

          A justificação se baseia na justiça de Cristo que é imputada ao pecador quando recebe Jesus Cristo:

 

Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Romanos 3:24-25

 

          Toda a penalidade que recaía sobre o pecador é removida, a ponto dele se tornar filho de Deus.

 

Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos. Gálatas 4:5-6

 

Uma vez declarado justo, o homem não pode mais ser culpado ou punido por nenhum pecado.

 

Romanos 8 28-39

28 E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.

29 Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.

30 E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou.

31 Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?

32 Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?

33 Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.

34 Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós.

35 Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?

36 Como está escrito:Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia;Somos reputados como ovelhas para o matadouro.

37 Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.

38 Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,

39 Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.

 

 

          Porém, sua natureza continua decaída; assim, começa a luta entre a carne e o Espírito.

 

          Para analisar melhor esta faceta da salvação, estudaremos a santificação. Continue com a gente.