Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis






Partilhe este Site...

STG - Seminário Teológico de Guarulhos

Portal da Igreja Presbiteriana

UMADGUAR - União das Mocidades da Assembleia de Deus em Garulhos

Ministério de Missões da AD Guarulhos

Faculdade e seminário Teológico da Fé Reformada

Cohen University Theologial Seminary

Discipulado sem fronteiras

ICP - Instituto Cristão de Pesquisa



Total de visitas: 530631
Um chamado à responsabilidade Pessoal em Ezequiel
Um chamado à responsabilidade Pessoal em Ezequiel

OBJETIVO

Chamar cada irmão para assumir uma responsabilidade individual em dias de crise espiritual.


INTRODUÇÃO

Todos passamos por momentos de dúvidas e fraquezas.

A falta de oração, de comunhão com Deus, a displicência com a leitura bíblica, o não ouvir a palavra de Deus são negligências com a vida espiritual. A essas coisas, acrescentamos problemas familiares, as dificuldades e tentações do dia a dia, as dívidas, os apertos financeiros, o cansaço, a fatiga, o stress, entre tantas outras. Essas coisas acumulam e nos enfraquecem espiritualmente e, se não tratada, essa fraqueza pode levar à morte espiritual.

Algumas pessoas abandonam a fé. Passam a viver alheias ao evangelho, tentando esquecer da verdade. Outras permanecem dentro das igrejas, mas mortas, sem Deus. Pessoas que não veem mais nada, não sentem mais nada.

O que podemos fazer nessas situações de morte espiritual? Esperar pelo milagre é o único caminho correto? Qual a nossa parte da ressurreição espiritual tanto nossa quanto dos nossos irmãos?


CONTEXTUALIZAÇÃO

No século VI a.C, Nabucodonosor, rei da Babilônia, invadiu Judá e levou o povo cativo para sua terra.

Na Babilônia, o povo viveu cativo, destituído de sua pátria.

Deus os havia entregue às consequências de sua negligência para com Ele: O culto vazio, a falta de temor, o pecado desenfreado.

Muitas vezes, somos nós quem criamos nossos problemas espirituais, correndo muito por nossa própria vida e negligenciando as coisas mais importantes: nossa vida com Deus.

Em seu desespero, os judeus sentiam-se mortos, secos e sem nenhuma condição de voltarem à vida. Sentiam-se perdidos e sem esperança.


LEITURA

Ez 37.11: Então Ele me disse: Filho do homem, estes ossos são toda a nação de Israel. Eles dizem: Nossos ossos secaram e nossa esperança desvaneceu; fomos exterminados.

A palavra de Deus veio a Ezequiel com um objetivo: mostrar que sempre há esperança.

Em Deus, a esperança nunca morre. Assim, enquanto estivermos na presença do Senhor, por mais que estejamos fracos, machucados, desesperados, caídos ou feridos, Deus é a nossa esperança de vida e pode mudar a nossa situação


Ez 37.1: VEIO sobre mim a mão do SENHOR, e ele me fez sair no Espírito do SENHOR, e me pôs no meio de um vale que estava cheio de ossos.

Em momentos de grandes dificuldades, esperamos uma visão um pouco mais motivadora; mas Ezequiel se vê em uma depressão escura entre duas montanhas.

O vale é sempre um lugar escuro, assustador, úmido e triste, mas também é um lugar de encontro com Deus, lugar de tratar com Ele face a face.

Infelizmente, para a maioria de nós, é na dor, na dificuldade e no choro que nos encontramos com Deus de verdade.

Ele bem sabe disso, e cuida de nós nesses momentos difíceis. Cada lágrima que derramamos está nas mãos de Deus para regar nossa fé. Cada momento difícil que vivemos serve para nosso crescimento na presença dele.

Segundo Pedro, nossa fé, muito mais valiosa do que o ouro, é provada, mas resultará em louvor e glória na manifestação de Cristo.

Além disso, não passamos por estas situações sozinhos. Perceba que Ezequiel estava no vale, mas a mão do Senhor estava sobre ele e o Espírito é quem o movia.


Ez 37.2: E me fez passar em volta deles; e eis que eram mui numerosos sobre a face do vale, e eis que estavam sequíssimos.

Esse versículo mostra que a esperança era zero, pois os ossos estavam muito secos, sem nada que indicasse a menor lembrança de vida.

Às vezes nos sentimos assim, como esses ossos. Sequer nos lembramos porque estamos na igreja.

Nenhuma lembrança da presença do Senhor de outrora, de quando adorávamos com alegria, de quando o louvor a Deus enchia nossos lábios.


Ez 37.3: E me disse: Filho do homem, porventura viverão estes ossos? E eu disse: Senhor DEUS, tu o sabes.

Ezequiel estava andando no meio do vale e olhando os ossos, mas Deus o chama para uma responsabilidade pessoal.

Passamos muito tempo olhando em volta e reclamando. Às vezes olhando para dias passados e lamentando o que foi, o que perdemos, etc.

Deus nos convida a participar do milagre. Somos parte da obra dele e é em nós e através de nós que Deus age nessa terra.

Ezequiel tenta se esquivar da responsabilidade: “tu o sabes”, mas Deus o envolve ainda mais na obra que faria:


Ez 37.4: Então me disse: Profetiza sobre estes ossos, e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra do SENHOR.

Para que os ossos voltassem a viver, foi necessária uma atitude. Ezequiel precisou tomar da palavra do Senhor, pois é ela que tem poder para ressuscitar.

Precisamos abandonar a murmuração e tomar uma atitude. Quer ver milagre? Faça parte do milagre. Seja você o milagre que você quer ver.

É necessário parar de lamentar pelos cantos, abandonar a nostalgia, e fazer diferença nos momentos de crise. E quando nós tomamos uma atitude de fazer a diferença:


Ez 37.5,6: Assim diz o Senhor DEUS a estes ossos: Eis que farei entrar em vós o espírito, e vivereis. E porei nervos sobre vós e farei crescer carne sobre vós, e sobre vós estenderei pele, e porei em vós o espírito, e vivereis, e sabereis que eu sou o SENHOR.

Quando tomamos uma atitude para com Deus e decidimos fazer a diferença, Deus toma uma atitude em nossas vidas, e o milagre é responsabilidade dEle.


Ez 37.7: Então profetizei como se me deu ordem. E houve um ruído, enquanto eu profetizava; e eis que se fez um rebuliço, e os ossos se achegaram, cada osso ao seu osso.

Ezequiel faz o que Deus mandou, abre a boca em nome do Senhor e começa a ouvir um barulho: Era um sinal, naquela época, da aproximação do milagre de Deus. Era o som do poder de Deus.

Hoje, o som que manifesta o poder de Deus é o louvor e adoração da igreja. É a pregação da Palavra. É o poder de Deus para transformar vidas, para juntar cada osso ao seu osso e colocar cada coisa no seu lugar.


CONCLUSÃO

Não há situação difícil para Deus. Não importa o tamanho do estrago, ele não é maior que nosso Deus.

Não fomos chamados por Deus para ficar lamentando as dificuldades. Há algo grande em nossas vidas: Um chamado do próprio Deus.


Portanto, levante-se no meio desses ossos. Pare de chorar pelos cantos. Ande no meio desses ossos. Profetize (use, creia e viva a Palavra de Deus) no meio desses ossos e assim, viva o milagre de Deus.